Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Pesquisar

 

Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Novembro 2019

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

Links

O Autor

Académico

Social



O SISTEMA ESTÁ CORROMPIDO

por Machaca, Terça-feira, 26.11.19

IMG_20191125_124417_769.jpg

Saí ontem pela manhã com intuito de recuperar o meu Bilhete de Identidade que há mais de doze meses anda nas mãos erradas. Perdi o meu documento numa carteira num evento eclesiástico que teve lugar no Estádio Nacional do Zimpeto e estava acompanhado pelo cartão de INSS, NUIT e cartões de débito mas, fiquei todo esse tempo sem recuperar nenhum documento por alguns motivos principais. Quando tinha tempo não tinha dinheiro e quando o dinheiro existia me roubavam o tempo. Quando tinha ambos recursos não tinha vontade, ora não tinha sistema.

 

Antes de sair dei ou beijinho na minha linda filha e a mãe dela me pediu um certo valor baixo, que não dei uma vez que ia ter impacto negativo no que ia fazer. Do jeito que ela olhou para mim, os olhos dela chamaram-me de avarento ou outro nome bem esquisito. Eu respondi aos olhos dela: pode me chamar como quiser, mas tenho um objectivo e vou cumprir.

 

Bom! Isso não importa... Aliás, nem sei por que motivo estou a contar isso. O assunto aqui é do sistema corrompido. Talvez isso tenha uma relação mais avante.

 

Nossos Bilhetes de Identidade são emitidos pela Direcção Nacional de Identificação Civil e não é novidade para ninguém que esta direcção é do Estado e pertence ao Ministério do Interior. É este Ministério que forma polícia para nos defender e proteger. Quando somos roubados, burlados, sequestrados ou quando somos vítimas de qualquer que seja crime corremos para a polícia. Quando desapareceu minha carteira também corri para a polícia: apesar de não ter tido efeito satisfatório a mim. Fazer o que? Nem é em todos os casos conseguem solução.

 

Passei do posto de Choupal para a emissão do Bilhete de Identidade. A fila estava curta lá e fiquei cheio de esperança de voltar cedo para casa e poder cumprir com outros compromissos mas, quando procurava saber a última pessoa da fila (uma vez que as coisas daqui funcionam com filas), fiquei sabendo que não tinha sistema. Já que não era a minha primeira vez a ouvir isso, saí e pelo caminho decidi ir noutro posto.

 

Quando cheguei noutro posto fiquei tão feliz nos primeiros minutos. Acredita que para poder conseguir registar os meus dados no sistema, tirar medidas e a fotografia para o tão esperado Bilhete de Identidade levei pouco tempo? Isso me deixou muito feliz e já começava a elogiar a exagerada burocracia que lá vi.

 

Depois de registarem meus dados no sistema, mandaram-me ir pagar o valor da taxa no caixa e, aí que começou o filme. A fila estava bem longa e cansativa e não estava a ver nenhuma pessoa da fila a sair. Será que estou na fila certa? Fiz para mim mesmo esta pergunta e a resposta foi de que a fila era correcta, uma vez que ia mesmo até ao caixa.

 

Mas... o mais estranho é que no caixa tinha uma multidão que até deixava a janela daquela senhora clara e gordinha sem espaço para a entrada do ar bom! Coitada, acho que ela estava a sentir o cheiro de cada perfume, cada sovaco, cada suor, cada chulé e cada coisa estranha. Será que os policiais que estavam a desfilar de um lado para o outro não podiam organizar a fila? Será que ela está a gostar de ficar naquele estado? Será que se orgulha pelo trabalho que tem?

 

Fiquei mais atento para entender o sistema e comecei a ver o espectáculo. Será que você lembra a música "La famba bicha" do falecido Jeremias Nguenha? Se sim, saiba que ele sabia o que estava a dizer nas estrofes daquela música. Ele sempre soube que o sistema estava corrompido e ainda está corrompido. A "bicha" andava de trás. Por isso que os que estava a frente na fila sempre permaneciam nos seus lugares e os que estava atrás desapareciam sem nos apercebermos.

 

Ah meu Deus! Eu sei que a verdade dói dizer e ainda pode custar-me caro mas temos que aceitar que o nosso país está cheio de corruptos e nós ainda criamos corruptos. Enquanto lutamos contra a corrupção, aumenta o número de corruptos. Como combater a corrupção assim? Como? Alguém pode responder-me?

 

Aqueles funcionários da Direcção Nacional de Identificação Civil estão a fazer "boladas" com o património público. Na boca do caixa ficam ali policiais fardados a espera dos impacientes dar dinheiro para conseguirem terminar seus expedientes. Os funcionários andam nas filas e colocam-se disponíveis para negociação e assim na fila não anda.

 

Um grupo de um senhor e duas senhoras que estavam comigo, cansados e depois de perceberem o esquema procuraram um funcionário para facilitar-nos a saída daquele lugar e a negociação foi feita. Acima do valor da taxa, tínhamos que adicionar o valor de cinquenta meticais por pessoa para sairmos rápidos dali. Pensei em aceitar mas, lembrei que em casa me pediram um valor inferior que não consegui dar. Será que minha filha almoçou? Não dei nada.

 

Me fiz do homem certinho mas com isso será que vou mudar Moçambique? Se sou apenas um homem esquecido, desempregado, fracassado e sem nem esperança de ver verdinhas no final do mês. Para sustentar minha família dependo dos trocados que me dão em projectos de curta duração e em pequenos biscates. Será que tenho cabedal para mudar isso?

 

Mesmo assim me coloquei na fila para perceber como termina e ainda poupar o valor para poder comprar pão para a minha linda família. Cinquenta meticais na minha casa é suficiente para dormir sem fome e me dói entregar esse valor a alguém que tem em todos finais do mês salário, bónus e certas regalias.

 

Fiquei a cumprir a fila com aqueles que se faziam de certinhos como eu mas, quando a hora de saída na função pública tocou, comecei a ver marrabenta. Pararam de atender, uma vez que os que iam apoiando a corrupção já não existiam e ficamos nós os certinhos. Até quinze e trinta recolheram nossos expedientes para o caixa e fomos informados: voltem amanhã. Até sete horas e trinta minutos vamos atender a vocês. Agora não há sistema. E começamos a reclamar. Como vamos conseguir chegar a essa hora? Será que eles pensam que nós somos vizinhos da direcção? Ou acham que não temos nada mais a fazer? Assim que somos desempregados a nossa vida é ficar nas filas das instituições do Estado já que são públicas? Que ganho temos nós com isso? Será que vai trazer-nos pão, arroz ou qualquer outra coisa em casa? Será que mesmo ficaram com problema do sistema nos computadores ou nas suas cabeças?

 

Bom! Autoridade é autoridade. Saímos dali todos a murmurar. Nada mais tinham ali a fazer. O murmurar não ia trazer nada de volta. Já eram quinze e trinta e eles queriam fazer as contas do que roubaram do povo.

 

Hoje voltei para lá mas, porque tenho família, meus biscates e não tenho carro para chegar onde quiser na hora que quiser, dependendo do transporte público dirigido por aqueles homens sem respeito pelo passageiro e que fazem do autocarro uma sala de conferencias e ligam os motores quando tiverem vontade, cheguei lá uma hora atrasado. Mais ou menos oito horas e trinta minutos ao invés de sete horas e trinta minutos.

 

Informei o que me levou àquele local e prometeram atender. Não estava sozinho do lote de ontem, a fila era longa e incluía os que estão há mais de uma semana a se fazerem de certinhos. Um agente da PRM levou uma caixa de processos, começou a fazer chamadas distribuindo-os a nós os donos e depois disso disse: vão ficar na fila. Que estúpido! Que merda!

 

A fila era bem longa do que a de ontem e ninguém estava sendo atendido na fila. O sistema é o mesmo e ficam mais felizes em saber que somos impacientes. Não fui mais a fila e lembrei que ontem tentei fazer o certo e tudo deu errado. Daí que preferi fazer o errado para dar tudo certo.

 

Após falar com um promotor da PRM fui mandado sair da sala, levando o meu processo. Fora da sala era para a negociação  e, como não tinha mais alternativa tive que entrar no sistema corrompido. Fora encontrei outras pessoas impacientes como eu...

 

Bom! Minha filha e minha esposa hoje vão ter que me entender. Fui roubado... fui assaltado... Enquanto em Matalane formam polícia para nos defender e proteger, alguns desses heróis nos roubam, "puta madre". Não temos onde queixar..

 

Me desculpem em usar palavrões. É que o que me aconteceu dói muito. E eu não gosto de corruptos mas fui obrigado a corromper. Eles fazem isso de propósito. E isso ainda me leva a recordar o que acontece nos exames de condução. Corrupção é a cor de várias instituições do Estado.

 

Sei muito bem que o sistema está corrompido mas gostaria de convida-lo a nos unirmos para eliminar isso. Nós o povo aceitamos a corrupção uma vez que pagamos qualquer preço para que nossos problemas sejam resolvidos legal ou ilegalmente. Se todos pautássemos por fazer o certo e nunca mesmo aceitarmos corromper, acredito que estaríamos a contribuir para eliminar a corrupção.

 

É verdade que não será de dia para noite que podemos reparar o sistema corrompido mas, isso cabe a nós. 

 

Abraços!

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Machaca às 17:12


subscrever feeds


Comentários recentes

  • Machaca

    jose.machaca@gmail.com or +258 84 052 9991

  • Anónimo

    Força aí,seu contacto?

  • João Sá

    Excelentes notícias. O SAPO fica atento ;)

  • Machaca

    O blog em breve irá publicar mais...A pausa foi me...

  • Machaca

    Muito obrigado pela força Margarida...Abraços

  • João Sá

    Olá :)Este blog tem andado muito "sossegado", faz ...

  • Margarida

    Desde já devo dizer-lhe que aprecio bastante o seu...

  • Machaca

    Boa tarde,Bom, já que a figueira que Frei descreve...

  • Augusto Macedo Pinto

    Como curiosidade quando Frei João Santos chegou a ...

  • Machaca

    Muito obrigado.Bom fim de semana para si a a toda ...

  • João Sá

    Bom dia e votos de um bom fim de semana :)Achei qu...

  • Machaca

    Muito obrigado mesmo. Na vida aprendi que sempre p...

  • João Sá

    Bom dia :)Fontes de inspiração, são sem dúvida, es...

  • Machaca

    Muito obrigado pela ajuda.Votos de um próspero 201...

  • João Sá

    Com votos de um Feliz 2012 damos-lhe as boas vinda...



Mensagens